Aqui no Mundo Ovo, estamos pesquisando bastante sobre o método de Maria Montessori. Não só aquilo que é aprendido nas escolas especiais Montessori, mas também o que vem sendo adaptado pelas famílias que compartilham desta forma de pensar e como elas estão adaptando seus lares com o objetivo de educar seus filhos com amor, aconchego, independência e autonomia.

A premissa de um quarto montessoriano é justamente a ideia de que pais devem abandonar os berços em troca de um colchão no chão e, mais tarde, uma cama infantil bem baixinha. E no meio de tantas ideias que estão sendo compartilhadas na Internet, em sites especializados e grupos no Facebook, ficamos com vontade de apresentar, em linhas gerais, como você pode adaptar o quarto do seu filhote, usando alguns, ou todas as soluções montessorianas.

 

Mas afinal, o que significa construir, na prática um típico quarto montessoriano?

  • Quarto minimalista e funcional, composto de poucos móveis;
  • Ambiente que proporcione harmonia, aconchego, tranquilidade e segurança;
  • Poucos brinquedos, eles são oferecidos para a criança em sistema de rodízio;
  • Tudo ao alcance da vista e das mãos;
  • Ordem: quando o bebê já tem idade para entender, deve participar com os pais da organização do quarto e saber onde fica cada uma de suas coisinhas para que possa acessá-las e também guardá-las.

 

O quarto montessoriano tradicional conta com alguns acessórios

  • Espelho: deve ficar na altura do bebê, bem preso na parede, para que ele possa se conhecer;
  • Barra: como aquelas de balé, também afixada na parede, pois é um estímulo para que o bebê a alcance para ficar de pé;
  • Armário com poucas roupas e ao alcance do bebê para que ele possa se vestir sozinho. Se puder deixar a roupa do dia a dia em pequenas cestas, ele poderá escolher o que vestir;
  • Cantinho da leitura: pode ser mesinha e cadeira de tamanho infantil ou mesmo um tapete no chão com uma cestinha de livros;
  • Quadros e objetos decorativos devem ser colocados em uma altura que possa ser apreciado pelo bebê;
  • Estante baixa: para guardar os brinquedos do bebê de forma organizada.

 

E a cama no chão?

Um quarto montessoriano não pode ter berço. Berços limitam os movimentos exploratórios dos bebês, que sentem confinados naquele pequeno espaço e oprimidos pelas grades. A solução montessoriana é um colchão (ou futon) no chão, aparado por tapetes e almofadas para que o bebê não caia involuntariamente. Mais tarde, o colchão pode ser substituído por uma cama baixinha. O objetivo principal é que o bebê possa explorar o seu cômodo da forma que lhe convier sem que um adulto esteja presente, contribuindo assim para seu desenvolvimento intelectual.

 

Cuidado com a segurança

O objetivo do quarto montessoriano é que o bebê desenvolva autonomia para se locomover e principalmente amar o seu cantinho. Para que ele possa explorar sozinho o seu espaço, é importante que a segurança seja redobrada. Nada de degraus, tomadas, objetos pequenos que possam ser engolidos, vidro, quinas, coisas que possam cair em cima dele, caso tente se apoiar.

 

Fizemos uma galeria de fotos comentada no Pinterest para que você possa se inspirar.

 

E aqui dicas com fotos de mães dos grupo Montessori para mamães

Saiba mais sobre a cama no chão

 

Imagem destacada: Indulgy.com

Camila

Camila Perlingeiro

Carioca, publisher que trabalha muitas horas por dia e lida diariamente com o monstro da dispersão. Sua maior inspiração se chama Victoria, menina esperta e companheira, que mede cerca de um metro de altura e tem um gênio do cão.