Três formas modernas de fazer um Livro do Bebê

Numa sociedade tão obcecada por registrar o dia a dia, é curioso que o tradicional Livro do Bebê tenha sido esquecido pelos novos pais e mães.

De todas as minhas conhecidas grávidas ou puérperas (são muitas!), não vi nenhuma falando a respeito. Não vi sequer uma discussão entre fazer ou não fazer o livro do bebê.

Confesso que também não tinha nem pensado na questão. Até que minha mãe (sempre elas) me mostrou o meu livro do bebê. Ela preencheu com carinho e cuidado nos meus primeiros anos, registrando tudo que achou importante. Ler o meu próprio livro foi catártico e bonito. Uma experiência ainda mais interessante agora que estou grávida – tanto pra mim quanto pra minha mãe. E eu não quero privar meu filho disso.

Mas a verdade é: quem tem tempo/saco/disposição para manter um diário analógico em 2017? Assim, fui atrás de versões alternativas e modernas de registrar e manter todas as informações sobre os primeiros anos do meu bebê. A minha ideia era achar métodos que eu seja capaz de manter e que eu não vá abandonar com dois meses de prática.

jeitos moderninhos de fazer o tal “livro do bebê”

Pesquisando por aí, achei algumas ideias maravilhosas e que se adaptam muito bem às nossas vidas modernas. Basta escolher a mais adequada a seu estilo de vida e a seus hábitos, e não deixar de registrar os passos tão importantes do seu bebê.

bebe andando primeira vez

um email para o bebê

Eu amo a ideia de escrever cartas sobre o bebê para ele mesmo. É carinhoso, delicado e uma forma muito pessoal de registrar o dia a dia. Como cartas são um recurso vintage, que tal criar uma conta de email para o seu bebê? Com uma conta de email, você consegue escrever o registro de qualquer lugar estando com seu celular e guarda de uma forma segura e praticamente eterna. Além disso, você tem a liberdade de escrever sobre o que quiser, na hora que quiser (sem se ater aos tópicos do livro), com espaço ilimitado e que você pode acessar sempre que bater aquela saudade.

um perfil no Instagram

Muita gente rejeita a ideia de expor seus filhos nas redes sociais (e tudo bem), mas pode ser uma ótima forma de registrar o dia a dia e as pequenas conquistas. O Instagram hoje tem recursos ótimos como o arquivamento de fotos por pastas. Você pode aproveitar para dividir as fotos do bebê por períodos, por exemplo. Falando em agrupamento, você também pode criar as próprias hashtags e agrupar as fotos como tiver vontade.
A parte boa de um perfil no Instagram dedicado a seu bebê é que você pode mantê-lo privado e só aceitar os seguidores que desejar. Assim, você mantém a privacidade do bebê intacta e não perde comentários fofos da família e amigos próximos.

sim, existem apps para isso

Se você é como eu, já está usando ou usou aplicativos no celular para monitorar a gestação. E claro, eles existem também a partir do pós-parto para você registrar todos os momentinhos do bebê. São muitos apps diferentes e com objetivos diferentes.
O Tinybeans (grátis), um dos mais famosos, reúne um calendário para você e um monitor de “marcos do bebê”, além de ter um backup em nuvem de fotos, textos etc. Através dele, você pode compartilhar de forma privada os registros com parentes e amigos. Com a mesma proposta, vale conferir o Tweekaboo, o Lazy Mama e o Kidfolio.

Já apps como o Baby Story e o My Baby Milestones (ambos grátis) são apps de edição de fotos que vêm com stickers para que você marque as fotos dos bebês nos momentos mais importantes. São ótimos para quem quer registrar e compartilhar o passar dos meses e os primeiros marcos. Como esses existem vários e com versões em português.

E aí? Se anima para pensar a respeito do livro do bebê?

por que as crianças mentem?
Postagem anterior
Por que as crianças mentem?
Próxima postagem
Enxoval do bebê: tudo que você precisa saber para não errar nas compras

Sem Comentários

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Voltar
COMPARTILHAR

Três formas modernas de fazer um Livro do Bebê