Um post para o futuro pai amedrontado

Esse é um post para o futuro pai amedrontado. Compartilhe com seu companheiro sem moderação.

Futuro pai. Pouco prestamos atenção nas suas necessidades. Afinal é a mãe que gesta, pari, amamenta, vira uma bola de neve de hormônios insanos.

Mas o futuro pai está ali, em pânico, excitado.

Muitas vezes calado, por que tem tanta coisa acontecendo com a sua parceira que o que ele sente não pode ser vocalizado. Afinal ele precisa ser forte para dar apoio para quem precisa mesmo de suporte. Certo? Errado.

Há uns meses atrás eu escrevi o post 10 vezes que as pessoas tentaram me aterrorizar mas não conseguiram para a Nina Ribeiro, que tinha começado a escrever para o Mundo Ovo e, grávida do Martin, estava um pouco assustada com a quantidade de coisas negativas que só a maternidade real traz pra gente. Ela disse: cadê a parte em que dá tudo certo?

Mas eis que uma amiga me manda uma mensagem privada, agradecendo pelo post. Ela estava muito afim de engravidar, mas o marido andava um bocado assustado. Eles liam tantas coisas apavorantes sobre a paternidade, que eles estavam pensando em desistir.

Eu disse um NÃO em caixa alta, não há por que ter medo. Ou melhor: tenha medo mas o enfrente.

Acho que é inútil dizer que vai ficar tudo igual. Não vai. Por que é uma experiência tão forte que você vai passar a questionar a sua própria essência e se adaptar. Nem digo adaptar o seu escritório/sala de jogos para virar o quarto do neném, digo se adaptar emocionalmente. Afinal vem aí o amor da sua vida.

 

Os medos mais comuns dos pais de primeira viagem são:

  • Medo de não conseguir sustentar o próprio filho
  • Medo de não saber cuidar de um bebê
  • Medo de todos os assuntos da sua vida e da sua parceira girarem em torno de bebês
  • Medo de precisar finalmente amadurecer (abandonar a escalada com os amigos, parar de jogar videogame, parar de beber, parar de jogar conversa fora, parar de ver memes idiotas na internet…)
  • Medo de não conseguir lidar com a falta de sono
  • Medo de cometer os mesmos erros do meu pai

E numa boa? Não estou tentando minimizar seus medos, não. Todos os seus medos, querido futuro pai, são válidos.

Mas a verdade é que as mudanças que vão acontecer na sua vida são por uma boa causa. Aliás serão motivo de tantas outras formas de amar e de ser feliz, que por um tempo você pode até brigar para manter a sua existência do jeitinho que ela estava. Mas é uma reviravolta linda, acredite (E não precisa amadurecer muito mais, não. Dá super para jogar vídeo game com o filho, dá até pra levar o bebê no chopp de domingo à tarde).

E a reviravolta é menos violenta e mais sutil. Não é do dia pra noite que suas quartas-feiras de pelada vão sumir. Por um tempo elas vão sumir, afinal cuidar de um bebezinho é mesmo cansativo e você não vai nem lembrar que é quarta-feira, quanto mais encarar o amigo que chuta sua canela ao invés da bola.

Mas depois as coisas entram nos eixos, e você pode entrar em um acordo com sua parceira. Um dia na semana é o seu crossfit, outro dia na semana é o encontro dela com as amigas e um dia na semana vocês saem juntos sem o bebê. Tenho amigos que fizeram exatamente dessa maneira e tudo dá certo há anos.

Olha: todo mundo fala que se a gente pensar muito em ter filhos, acaba desistindo. Afinal quem, em sã consciência, opta por não dormir, por ser 100% responsável por uma vida, deixar de gastar o seu suado dinheirinho consigo para investir no futuro do seu filho?

Mas a verdade é que isso é um pensamento muito raso, né? A irmandade das pessoas que possuem filhos, esses seres descabelados, que acham que tudo bem sair de pijama para comprar o jornal de vez em quando, discorda de você.

Ser pai é uma parada tão maneira! Não deixe o medo e a insegurança te dominar. Pensa bem: só o fato de você estar se preocupando com tudo isso já é um forte indício de que você quer fazer a coisa direito. E é óbvio que você vai errar. Mas o bom é que o amor entre vocês é incondicional. No dia seguinte tem sempre a próxima fase.

Se joga.

 

++ leia mais: Vamos deixar o pai ser pai? ++

 

parto vaginal após cesárea
Postagem anterior
Instituição tenta tornar o parto vaginal após cesárea (VBAC) mais acessível
Pequenos leitores nascem em casa
Próxima postagem
Pequenos leitores nascem em casa

1 Comment

  1. […] carta para pais de primeira viagem que certamente estão desesperados – não é só a mãe que […]

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Voltar
COMPARTILHAR

Um post para o futuro pai amedrontado