Educação bilíngue francesa: conheça o Lycée Molière, no Rio de Janeiro

Lycée Molière

 

Quem acompanha a gente aqui no Mundo Ovo sabe que educação é um dos nossos temas favoritos. A gente fala sobre métodos, escolas, livros e como funciona a vida escolar em diversos países do mundo.

Escolher a escola ideal é um dos grandes desafios que os pais enfrentam ainda na primeira infância de seus filhos. Existem diferentes métodos, espaços físicos e ainda precisamos colocar na equação questões como investimento, geografia, horário escolar. E ainda achar uma estrutura que se adeque ao estilo de vida das famílias.

Não é uma decisão fácil, caros amigos. E depois que finalmente chegamos a esta crucial decisão, fica sempre uma dúvida, pois da mesma maneira que não existe a família perfeita, também não existe a escola perfeita. Tudo o que a gente pode fazer é nos aproximar do que consideramos ideal para a gente.

Optar por uma escola bilíngue passa por uma série de posicionamentos altamente pessoais: o desejo de oferecer imersão em uma segunda língua; a oportunidade de conviver de perto com outras culturas, já que escolas internacionais ou bilíngues normalmente oferecem uma maior porcentagem de alunos de países distintos e ainda a ascendência, são apenas algumas das questões levantadas por pais que escolhem este método de instrução.

No mês passado fomos convidadas a conhecer o Lycée Molière escola bilíngue francesa aqui no Rio de Janeiro, mas que faz parte de uma imensa rede de ensino com cerca de 450 escolas em todo mundo.

O mais legal é que esse encontro promovido entre o Mundo Ovo e a escola contou não só com a participação dos diretores e do superintendente da escola, mas também de pais de alunos que ofereceram sua visão pessoal e familiar acerca da educação francesa e da sua vivência diária com o Liceu. E eu queria compartilhar com vocês tudo o que aconteceu nessa visita.

 

Lycée Molière

 

O ensino do Francês

Quem frequenta a escola? Essa foi a minha primeira pergunta. Achei que seria uma escola voltada especificamente para filhos de expatriados e ascendentes. Mas, curiosamente, os pais que me receberam não tinham nada a ver com a França. Eram famílias brasileiras, sem relação direta com o país ou a língua francesa. Esses pais foram atraídos, principalmente, por uma educação mais estruturada e pelas inúmeras vantagens que a escola oferece.

E é por causa disso que o ensino do francês é progressivo. Enquanto as crianças são pequenas, a partir dos três anos, eles têm uma carga horária de francês um pouco menor. Essa carga vai aumentando ao longo do ano, na medida em que as crianças vão ficando mais fluentes na língua. O mesmo é válido para alunos francófonos. Eles começam com uma carga menor de português, que vai aumentando até dar-lhes mais fluência no idioma. Existe ainda uma preocupação individual com o progresso da criança.

Quem são os alunos do Lycée?

Hoje, são cerca de 1000 alunos desde a educação infantil até o final do Ensino médio. Parte dos alunos são filhos de franceses expatriados, ou crianças brasileiras cujas famílias tem alguma relação de familiaridade com a França. Filhos de diplomatas e funcionários de empresas multinacionais que são realocados com frequência também optam pelo Lycée pela facilidade em manter continuidade nos estudos das crianças, visto que o Lycée faz parte de uma rede com cerca de 450 escolas em 136 países. Uma média estimada é que 35% dos alunos são franco-brasileiros, 30% são brasileiros, 30% são franceses e 5% crianças de outros países.

O que dizem os pais?

Os pais que concordaram em me receber foram categóricos em dizer que a maior vantagem, para eles, era que a escola era mais formal, que não tinha a cultura da “tia”, tão comum no nosso sistema escolar brasileiro, que deixa clara a linha, às vezes tênue, entre o papel do educador e da família. Mas que essa distância e o rigor na disciplina, no fundo, apenas reforça a importância da participação das famílias voluntárias, nas muitas atividades escolares.

Outra vantagem é a pluralidade. As crianças convivem com alunos de diversas origens, o que faz com que elas sejam expostas, desde muito cedo, a outras culturas e visões distintas sobre assuntos da atualidade. Tudo isso só faz com que os alunos do Lycée sejam tolerantes e abracem as diferenças.

Embora seja comum no Brasil, outra vantagem levantada pelos pais dos alunos é que a escola oferece todas as turmas. Ou seja: a criança começa a estudar a partir dos três anos, para sair da escola pronto para ingressar em uma universidade, seja ela brasileira ou estrangeira.

 

Lycée Molière

 

Alguns dados sobre a educação bilíngue

Existe uma ampla pesquisa que confirma que o bilinguismo oferece vantagens sociais, linguísticas e cognitivas sobre os seus pares monolingues. Inclusive a pesquisa se aprofundou e mostrou que o bilinguismo mantém a mente afiada na velhice.

 

Lycée Molière

 

Outros motivos para considerar o Lycée Molière

  • Escolas bilíngues são mais propensas a avaliar o aluno como indivíduo, ajudando-os em suas dificuldades particulares, já que muitas escolas trabalham os dois idiomas respeitando o tempo individual do aluno.
  • Elas também acolhem alunos e famílias de vários países do mundo. Isso significa diferentes culturas, religiões e filosofias. Crianças que crescem em ambientes multiculturais são sabidamente mais tolerantes e possuem a mente mais aberta. Essa influência direta faz com que essas crianças cresçam para serem adultos que lidam bem com mudanças, e a se locomoverem em diferentes ambientes socioculturais.
  • O Lycée não possui as caríssimas listas de material que nós, pais, precisamos sofrer todos os anos. A maior parte do material didático é importada diretamente da França, inclusive os cadernos. Eles possuem ainda um sistema de reaproveitamento dos livros de um ano para outro. Ou seja: os livros são, na verdade, emprestados pela escola. Isso, além de ser uma economia e tanto, ensina que as crianças devem sempre respeitar os livros escolares.
  • A carga horária diária é das 8h às 14h. Mas existe ainda a possibilidade de horário estendido. Para o ensino fundamental II e Ensino Médio a carga horária é ainda maior e as aulas terminam entre 16h e 17h.
  • Crianças fluentes em português e francês, preparadas para ingressarem nas universidades na Europa e na América do Norte e também brasileiras.

 

Lycée Molière

Para conhecer o Lycée Molière, aqui no Rio de Janeiro, basta entrar no site na aba portal de inscrições ou telefonar para 21-3235-1800.

 

 

publi

copo antivazamento
Postagem anterior
Litecup: Copo antivazamento que brilha no escuro
passeios em família
Próxima postagem
Caderno de aventuras incentiva passeios em família

Sem Comentários

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Voltar
COMPARTILHAR

Educação bilíngue francesa: conheça o Lycée Molière, no Rio de Janeiro