Filho, a fada do dente não existe

Caiu o primeiro, o segundo, terceiro e quarto dente do meu filho. Tudo bem, tudo certo, que lindo, guarda numa caixinha. Quando o de cima caiu, ele me disse que iria colocá-lo embaixo do travesseiro para ganhar um dinheirinho da fada do dente, afinal, todos os amigos ganhavam e ele nunca tinha recebido uma moeda sequer.

“Fada do dente? Nunca teve fada do dente na minha infância, achei que fosse um costume exclusivamente americano. Mas, beleza, vamos lá. Como é mesmo? A criança deixa o dente e quando acorda encontra uma moeda. Melhor deixar uma nota…”, pensei.

De noite, ele colocou o dente debaixo do travesseiro e dormiu… e eu também. No dia seguinte, veio cedinho no meu quarto falando que a fada não tinha passado. Não sei se por causa da hora, do sono, ou porque simplesmente não achava justo sobrar para a pobre da fada, que devia estar ocupada nos Estados Unidos, eu falei: “Filho, já caíram 4 dentes seus e nunca teve essa história de fada do dente aqui em casa, você sabe que ela não existe, né? É uma brincadeira que as mães fazem com os filhos.”

E seguiu o seguinte diálogo, que transcrevo abaixo para ele levar impresso na terapia:

– Por que você está me contando isso? Você está estragando a minha infância…

– Filho, desculpa, mas na minha casa nunca teve isso e eu nunca soube direito como fazer. Sabe o que a minha mãe fazia? Ela guardava os dentes em uma caixinha, igual a gente faz. Ah, e uma vez ela fez um colar com um dentinho meu.

– Um colar com o dente? Igual um canibal?

– Canibal faz isso?

– Todos os meus amigos acreditam na fada do dente. Fulano ganhou uma vez 20 reais dela e eu nunca ganhei nada.

– Desculpa, filho, mas é meio estranho uma fada pegar dente, né? O que ela faz com eles? Tipo o coelhinho da Páscoa… Por que um coelho vai trazer ovo? E de chocolate? Não faz o menor sentido. – falei, piorando ainda mais a situação, claro. (Só pra esclarecer: ele já tinha descoberto antes que o coelhinho da Páscoa não existia pois um amiguinho da escola contou. Eu tentei convencê-lo do contrário várias vezes, mas não teve jeito.)

– Eu queria continuar acreditando no coelho da Páscoa ainda, mãe. Não queria ter descoberto que ele não existe. Eu gosto de caçar ovinhos.

– Claro que você vai continuar, meu amor, vamos sempre esconder os ovinhos para você procurar na manhã da Páscoa, com coelhinho ou sem.

– …

– Mas o Papai Noel é de verdade, ele existe mesmo, olha que legal. O Papai Noel é demais!

– Mãe, eu não vou contar pra ninguém na minha escola que a fada do dente não existe porque não quero estragar a infância deles como você estragou a minha. Eu vou guardar esse segredo para eles poderem aproveitar enquanto podem – ele me disse resignado.

– Desculpa, eu não sabia que isso era tão importante pra você.

– Tudo bem, mas eu quero que você faça a fada do dente mesmo assim, tá? Eu vou dormir essa noite e quando acordar eu quero encontrar um dinheiro embaixo do meu travesseiro.

– Claro, a gente brinca de fada do dente, então. – Concordei, me sentindo a pior mãe do mundo.

Então ele adormeceu. Com medo de dormir  e esquecer novamente, corri para colocar o dinheiro embaixo do travesseiro. Mas ele ainda não estava no sono profundo, acordou e e me lançou aquele olhar de reprovação: “você tem que esperar eu dormir, mãe…” Esperei bastante e coloquei o dinheiro. No dia seguinte ele acordou, pegou a nota de 50 reais (podem me julgar) e chegou na sala cabisbaixo: “Não adianta, mãe, não é a mesma coisa, eu sei que foi você. Toma o dinheiro, deixa pra lá. Não tem graça, perdi uma parte da minha infância.”

Arrasada, peguei os 50 reais e saí para comprar um pote de sorvete para comer direto na colher. No caminho até o mercado, quase pedi um abraço para um estranho.

 

Imagem destacada: Robert S Donovan

Postagem anterior
Linha do tempo da amamentação
Próxima postagem
Disciplina positiva: fortalecendo vínculos com amor

31 Comentários

  1. 11 de novembro de 2014 at 11:27 — Responder

    HAHAHAHHAHAHAHHAHAHAHHAHAHA AI DEUS, ME ABRAÇA EM CAPS, MARI.

    • Mariana
      11 de novembro de 2014 at 11:36 — Responder

      TEM QUE SER EM CAPS MESMO, ANNE ___O____
      <3 <3 <3

  2. Núbia Tavares
    11 de novembro de 2014 at 12:22 — Responder

    Gente, posso abraçar os dois? Também nunca teve essa história de fada do dente em casa, mas vou repensar como tratar o caso com a minha filha quando ela tiver dentes. To passando e tentando processar o texto. Um abraço, amiga.

    • Mariana
      13 de novembro de 2014 at 21:49 — Responder

      Obrigada, Núbia __o__
      Depois conta pra mim como foi?
      Beijos!

  3. Camila
    15 de novembro de 2014 at 14:07 — Responder

    Nossa, você é cruel kkkkkkkk coitado do seu filho !!! Kkkkkkkk
    Mas sério, porque você SÓ não entrou na brincadeira ?? Não satisfeita ainda entregou que o coelhinho da páscoa também não existe… Mancada !!! Não era mais fácil entrar na imaginação dele também ??? Hahahahaha

    • Mariana
      15 de novembro de 2014 at 16:09 — Responder

      Oi, Camila, acho que não deixei claro no texto, mas o coelhinho da Páscoa ele descobriu sozinho que não existia: um amigo da escola contou. Eu até tentei convencê-lo que existia sim, mas ele não acreditou mais de jeito nenhum. A fada do dente realmente não fez parte da minha infância e eu não fiz nos primeiros dentes. E ele só veio falar comigo a respeito quando um dente de cima caiu, acho que ele já tinha 7 anos, e eu, desprevenida, não soube fazer direito e acabei me atrapalhando toda, como contei no texto, hehe. Sempre estimulei a fantasia do meu filho, fiz caçadas de ovinhos na páscoa com pegadas de coelho, as noites de Natal sempre são mágicas (ele ainda acredita no Papai Noel até hoje, mas já está bem desconfiado) e nosso dia a dia é repleto de brincadeiras e faz de conta… Meu filho já tem 8 anos, está crescendo, e chega uma hora que bate aquela dúvida de quando é a hora de falar a verdade, né? Bem, vou mantendo o Papai Noel enquanto puder. Beijos!

  4. Roberta
    15 de novembro de 2014 at 14:34 — Responder

    Minha Gabi, nos primeiros 4 dentinhos nem falava em fada do dente, até ver um filme ai. Então quando os 2 dentes de cima caíram ela disse q ia colocar de baixo do travesseiro p fada vir buscar e deixar uma moedinha… Bem no primeiro dente eu coloquei a moeda, já no segundo eu esqueci e ela ficou tão chateada, mas não desistiu e colocou novamente, ai fiquei mais atenta desta vez rsrsrs…Já pensei em dizer q a fada não existe, mas decidi deixar ela imaginar mais um pouco.

    • Mariana
      15 de novembro de 2014 at 16:11 — Responder

      Que bom que você conseguiu manter a magia mais um pouco, Roberta, eu falhei nessa, hehe. Ai, ai… Bjs

  5. Joana
    15 de novembro de 2014 at 15:03 — Responder

    O a meu filho tem 3 anos e nos desenhos animados ele já ouviu a tal fada dos dentes. Então volta e meia ele diz q os dentes estão a abanar e que a fada vai dar uma modinha para por no mealheiro…

    • Mariana
      15 de novembro de 2014 at 16:12 — Responder

      Que fofo ele, Joana! É bom que você tem tempo para se preparar e não vai se atrapalhar como eu. Beijos!

  6. Vanessa
    15 de novembro de 2014 at 15:27 — Responder

    Se é tão importante, pq acabar? Tem tanto tempo p ser adulto…

    • Mariana
      15 de novembro de 2014 at 16:19 — Responder

      Oi, Vanessa, acho super importante que a criança seja criança, não apresso nada aqui em casa e estimulo sempre a fantasia, não só nessas datas especiais, mas no dia a dia mesmo, com muitas brincadeiras. Continuo tentando manter a magia do Papai Noel enquanto posso, mas meu filho está bem desconfiado já… Como a fada dos dentes nunca fez parte da minha vida, eu realmente não soube como fazer direito… Não imaginava que ele ia ficar tão chateado com isso. Mas a gente não acerta todas, né? Beijos

  7. Isabella Mazzotti
    15 de novembro de 2014 at 18:19 — Responder

    Oii Amanda é uma pena que isso tenha acontecido mas também não é o fim do mundo! Eu tenho um irmão que também acreditava na fada do dente e uma vez a minha mãe não tinha trocado então ela colocou chocolate (meu pai tem um restaurante e foi de la que minha mãe pegou os chocolates) Então o meu irmão acordou no outro dia super zangado e disse: Mãe eu sei que foi você que colocou os chocolates, a fada do dente ela coloca dinheiro e não o chocolate do restaurante! Minha mãe ate que tentou convencer ele que tinha sido a fada mais ele foi mais esperto e dez então nao acreditou mais na fada e logo com o tempo foi perdendo o encanto pelo Papai Noel, coelhinho da páscoa e etc.. Ela ate se sente culpada por isso, mas como vc disse nos temos nossas falhas! E eu mãe hoje quero que minha filha tenha essa fase e espero que de tudo certinho! ! Hahah Beijinhos

    • Mariana
      16 de novembro de 2014 at 8:50 — Responder

      Oi, Isabella, bom saber que eu não fui a única, hehe. Que bom que você está atenta para fazer tudo certinho! beijos!

  8. 15 de novembro de 2014 at 19:49 — Responder

    Olá Mariana!
    Posso te afirmar que você não errou, ser mãe/pai tem dessas mesmo. Você acertou por ser preocupada com seu filho e conversar com ele.
    Parabéns por ser essa mãezona

    • Mariana
      16 de novembro de 2014 at 8:51 — Responder

      Obrigada pelas suas palavras, Demis. Fui um verdadeiro abraço virtual! Beijos

  9. Vv
    15 de novembro de 2014 at 20:57 — Responder

    Um abraço pra vc. Ser mãe é isso mesmo, acertamos, erramos, e as vezes aprendemos com nossos filhos.

    • Mariana
      16 de novembro de 2014 at 8:51 — Responder

      Oh, obrigada. Outro abraço __o__

  10. Bruna
    15 de novembro de 2014 at 20:59 — Responder

    Ai tadinho… Eu acho ótimo acreditar em tudo! Fada, papai noel, coelhinho, qq coisa! Faz parte da magia de ser criança! Em que outra fase da vida podemos exercitar nossa fantasia?? Acho q nao vale a pena esperar a fase do Alzheimer…

    • Mariana
      16 de novembro de 2014 at 8:59 — Responder

      Também acho super importante acreditar e manter a fantasia viva, Bruna. Coelhinho da Páscoa foi o primeiro que ele descobriu (com um amigo na escola) e não teve jeito. Estou tentando fazer o Papai Noel durar mais um ano, mas acho que ele está muito desconfiado já. Além das datas comemorativas, tem também todas as brincadeiras de faz de conta que fazemos no dia a dia e amamos! Bjs

  11. Jamille
    15 de novembro de 2014 at 21:37 — Responder

    Tb nunca tive fada do dente, mas a minha fiha já falava dela antes mesmo de perder o primeiro dente, então resolvi embarcar na dela. Porém um belo dia, com quase 8 anos, ela disse q ninguém na escola acreditava em fada, mas ela sabia q existia pq a fada do dente é uma fada e existia de verdade, pois nós nunca mentimos pra ela! Esta frase doeu, e meu marido resolveu contar a ela! Nossa, foi um choque… Ela chorou com uma mágua tão grande… Se sentiu enganada. Naquele dia vi q algo mudou na inocência dela! Sofri muito! Ela chorou, sofreu e começou a querer saber como fazíamos, etc e tal! Depois, na mesma conversa, arregalou o olhos e perguntou: E Papai Noel? Pronto, mais choro… Seguido de um “Como pude acreditar em rena voadora???”. Enfim, depois de muitas explicações, conseguimos convencê-la a nos ajudar a manter esta fantasia para o irmão mais novo, e dissemos q a partir daquele ano ela seria ajudante e Papai Noel juntamente com a gente!!!

    • Mariana
      16 de novembro de 2014 at 9:06 — Responder

      Ai, Jamille, entendo tanto pelo que você passou… As crianças vão crescendo e a gente é pego de surpresa, né? Ficamos meio sem saber como agir. Muito difícil quando chega essa hora. Foi assim com o coelhinho da Páscoa aqui em casa, ele disse que um amigo tinha contado que não existe, eu ainda tentei argumentar, convencê-lo, mas chega uma hora em que não dá mais. É difícil pra gente e pra eles também. Quando ele descobriu que coelhinho não existia, ficou se achando grande, mas ao mesmo tempo ficou um pouco triste porque amava a história toda. Mas até hoje faço questão de esconder os ovinhos e fazer a caça! Obrigada por dividir a sua história, vamos nos ajudando assim. Beijos

  12. Aline
    15 de novembro de 2014 at 22:43 — Responder

    Amei a matéria. Ficarei esperta com a minha princesa kkk

    • Mariana
      16 de novembro de 2014 at 9:07 — Responder

      Isso, Aline, já vai se preparando para fazer tudo certinho e do jeito que você acredita, hehe! Beijos!

  13. alessandra brasil
    16 de novembro de 2014 at 7:44 — Responder

    Queria Mariana todos nós estamos sujeitos a erros,afinal somos simples mortais,mas quero expressar a minha admiração a sua atitude de manter a pureza de criança viva dentro do seu filho, parabéns e obrigada por dividir conosco está experiência!

    • Mariana
      16 de novembro de 2014 at 9:08 — Responder

      Obrigada pelas palavras Alessandra, era tudo o que eu precisava ouvir. Beijos!

  14. Gislaine Cruz
    16 de novembro de 2014 at 13:10 — Responder

    Deu foi do…tadinho. aqui em Espanha é o ratonzito Perez que faz esse trabalhinho…depois desse texto acho que vou me preparar melhor pra qdo meu filho chegar nessa fase. Sorte.

  15. JessicaSilva1994
    16 de novembro de 2014 at 13:17 — Responder

    Aqui em casa nunca teve essa de fada do dente,sempre fazíamos um pedido e jogávamos o dente no telhado,

    Meu filho ainda não caiu nenhum dente pois ele só tem 4 anos,mas não vou inventar isso pra ele e se alguém falar isso mesmo,vou contar a verdade a ele,não acho legal ficar dando dinheiro,temos que ensinar desde pequenos o valor das coisas,assim formamos um adulto mais consciente que sabe os limites e que não age por impulso,que entende o valor das coisas.

  16. Fátima
    16 de novembro de 2014 at 17:58 — Responder

    Mariana querida, quem nunca ficou embaraçada diante dos seus pequenos, você foi maravilhosa.

  17. Renata
    2 de dezembro de 2014 at 11:32 — Responder

    Obrigada Mariana por compartilhar essa história deliciosa. É isso aí, mãe erraaaaaaaaaaaaaa ! Eu erro à beça, todo dia e não escrevo em nenhum blog. Divido com minha irmã. 🙂
    Obrigada por compartilhar essa. Juro, eu acho q faria igual a vc … Mas, acho q vou já colocar a moedinha embaixo do travesseiro, pois o dente do meu filho caiu essa semana ! Um beijo grande !

  18. Paula Villela de Gasparini
    31 de agosto de 2017 at 18:48 — Responder

    Oi Mariana

    Em casa foi igualzinho. E o pior que na Argentina, de onde veio meu marido, tem o tal do Raton Perez e minha sogra ficou INCONFORMADA. hahaha
    Ela nao aceitava que guardavamos em uma caixinha linda de monstrinho com os dentes todos em ordem… Rs.
    Enfim, cada familia com sua dinamica ne?
    Um mega abraço!!

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Voltar
COMPARTILHAR

Filho, a fada do dente não existe