Estimulando originalidade no seu filho

Não é fácil, mãe amiga. Do álbum de figurinha a roupa de cama, sua filha quer absolutamente tudo conforme aquela boneca da tv. Ah, se pelo menos ela quisesse a Barbie Geek que vem com um computador e jaqueta de couro que você achou escondida na última prateleira da loja… E eis que você acaba se rendendo porque não aguenta o chororô. E paga também 200 reais pela mochila da Sininho que vem com 10 cartelas com 100 tatuagens de todas as fadas do reino, e se irrita ao descobrir a total falta de criatividade da sua filha quando deixa ela na escola e descobre que TODAS as meninas da turma têm a mesma mochila.

Você não sabe o que está fazendo de errado, porque claro que a culpa é da mãe – sua, no caso.

Mas não se culpe. Mesmo. Faz parte da construção da identidade querer ser aceito. E pra ser aceito você acha que precisa pensar igual. Mas é claro que não precisa. Infelizmente a gente só descobre isso mais tarde na vida. Todas as crianças querem usar a mesma roupa, brincar com os mesmos brinquedos e escolhem, ano a ano, os ídolos do momento. Mas o que fazer para estimular originalidade? Quer algumas dicas?

 

Invista em customização

Aceite que a sua lindinha vai querer ser igual. Mas estimule alguns toques diferentes. Ela quer uma mochila cor de rosa das fadinhas com asas em tamanho natural? Você não vai conseguir se livrar dessa? Tudo bem, mas prenda um chaveiro diferente, decore com broches de outros personagens, enfeite com laçarotes de fitas coloridas. Escolham juntas. Customizem juntas.

 

Festa de aniversário sem pasteurização

Os temas são sempre os mesmos, mas você pode tentar sair pela tangente com ideias menos batidas. Se não conseguir evitar os personagens infantis, estimule seus pequenos a irem mais longe e montarem temas absolutamente originais e meio malucos com eles, como: Cinderela na pré-história, Bandidos, mocinhos e a Galinha Pintadinha, Piquenique da Chapeuzinho Vermelho etc. Será que você consegue convencer?

 

O mundo é enorme

Viajar é conhecer outros mundos, outras culturas, outras formas de pensar. Conheça lugares diferentes. Dê preferência a conhecer as cidades onde não haja muito estímulo ao consumo. Não precisa nem sair no Brasil. Quer diversidade maior do que a nossa cultura? Antes de qualquer viagem, mostre para as crianças para onde vocês vão, o que pretendem visitar e o que os meninos e meninas locais gostam de fazer. E traga na mala recordações originais pros seus filhos levarem pra mostrar na escola.

 

Uma nova forma de viver sem sair de casa

Leiam muitos livros (livro de verdade, que não sejam só brinquedo e que não envolvam a Hello Kitty, de preferência). Vejam documentários sobre outras culturas e formas de pensar. Estimule discussões, entrem na Internet para entender o que as crianças japonesas comem no café da manhã e promova um café da manha japonês para a família e alguns amigos em um final de semana mais animado.

 

Você já sabe que seu filho vai querer ser igual aos amigos. Mas ele pode ditar tendências ao invés de segui-las.  Vai depender muito do temperamento do seu pequeno, essa é a verdade. E também de muita autoconfiança, e isso se aprende dentro de uma base familiar sólida que gere segurança para que ele possa ousar pensar diferente sem medo dos outros. Vai depender do seu incentivo em mostrar pra ele que é melhor ser original, mas sem proibir o igual, sem levantar bandeiras; apenas oferecendo outras opções. E você vai suspirar aliviada ao ver que está criando uma turminha legal e eclética.

 

Barra_Posts

 

Postagem anterior
A Ritalina e o mundo da lua
Próxima postagem
Síndrome mão-pé-boca

3 Comentários

  1. 16 de maio de 2013 at 14:53 — Responder

    Ter personalidade é tudo! Os personagens estão aí para alegrar e divertir, mas o exagero é um tanto chato. Quando criamos oportunidades da criança pensar e conversamos sobre determinadas escolhas elas mesmas aprendem a avaliar melhor se estão ou não exagerando. Em uma viagem que fizemos para Orlando, reservamos um dia para uma visitar o museu Salvador Dali. Conversamos sobre a necessidade de aproveitarmos a viagem para conhecer outras coisas. Meus filhos adoraram! Beijos, Gisa Hangai – Blog Mãe bacana

  2. Graziela Sales
    16 de maio de 2013 at 17:59 — Responder

    Gostei das suas idéias. Nunca tinha pensado em fazer algo diferente.
    beijos
    Grazi
    maede4princesas.blogspot.com

  3. Danielle
    7 de junho de 2013 at 11:45 — Responder

    Muito bom!
    Estou evitando as princesas enquanto puder… quando não puder mais, vou mostrar a Mulan que é mais real, vou perguntar qual a profissão da princesa dela, a Barbie vai ser astronauta, engenheira, atleta..rs

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Voltar
COMPARTILHAR

Estimulando originalidade no seu filho