Cólicas x Bebês – a alimentação da mãe influencia?

Muitas mães saem do consultório dos pediatras de seus filhos com uma lista do que não ingerir enquanto amamentam para evitar as terríveis cólicas do bebê. Porém, o que muitas delas não sabem é que não há nenhum estudo científico capaz de confirmar o benefício de tantas restrições.

Você pode querer parar de ler agora porque jura que comeu feijão e o seu pequeno bebê sofreu horrores, mas o fato é que ainda não foi comprovado se existe alguma relação entre a alimentação da mãe e os gases do bebê, nem quais alimentos seriam os causadores e em qual quantidade. Por isso, na minha opinião, as restrições alimentares não podem ser um impeditivo ou uma barreira para a amamentação, muito menos devem debilitar sua saúde.

 

A origem das cólicas:

As cólicas surgem geralmente na segunda semana de vida e o mais comum é que elas só desapareçam após os três meses. Elas acontecem porque o sistema digestivo de bebê ainda é bastante imaturo. Os estímulos alimentares irão ao longo do primeiro ano fazer com que o intestino amadureça e reconheça os diversos alimentos que por lá irão passar.

Acredito sim que mães (pais) mais tensos e ansiosos possam ajudar a piorar o quadro, mas de mesma forma, acho improvável que pais inseguros “causem” cólicas em seus bebês como alguns cientístas argumentam.

Um novo estudo  tenta provar que é o choro incontrolável que faz o bebê ter cólica. Como o sistema nervoso ainda está aprendendo a bloquear e reconhecer sinais, ele ainda não sabe lidar com o choro sem causa aparente, e, quanto mais os bebês choram, mais gases e cólica.

Mas é difícil agir de maneira diferente quando a gente vê nosso filho chorando desesperadamente. Tentar ajudar restringindo a alimentação parece o certo a fazer, ou a única coisa ao nosso alcance e nos dá ao menos a leveza de que não somos os causadores daquele desconforto. Enquanto o tempo não passa, siga nossas dicas e tente manter a calma, o melhor remédio ainda é o seu colo e o seu carinho.

 

Indentificando o choro de cólica:

  1. O choro de cólica é diferente do choro normal que um bebê tenha. Bebês choram e ponto.
  2. O choro causado pela cólica é quase um grito, pode durar muito tempo e geralmente se arrasta (infelizmente) por dias.
  3. O bebê com cólica se contorce e retrai as perninhas e cerra os punhos.

 

Dicas para ajudar a não ter cólica:

  • Certifique-se que ao mamar ao seio o bebê esteja com a pega correta evitando engolir ar;
  • Coloque o bebê para arrotar sempre;
  • Não alimente demais o bebê.

 

 

Crédito de imagem: photosavvy

tantrum
Postagem anterior
Lidando com os "terrible twos"
suitcase
Próxima postagem
A viagem perfeita começa com uma mala bem feita

5 Comentários

  1. 11 de março de 2013 at 18:09 — Responder

    Oieee,
    Semana passada estive num evento que falava exatamente sobre isso: colicas de bebe!
    Ai, como a gente sofre, né? Cacá teve cólicas terríveis!!!
    Ainda bem que passa! uuufa! rs

    bjos!

    Loreta 😉
    @bagagemdemae
    http://www.bagagemdemae.com.br

    • Patricia
      24 de março de 2013 at 18:18 — Responder

      Oi Loreta,

      Acho que a gente acaba buscando também um certo sofrimento, queremos fazer tudo e ser tudo. Cansa né? Beijos.

  2. Adamilton
    24 de janeiro de 2014 at 9:15 — Responder

    bom dia !

    Parabéns pela matéria, repassando para minha querida esposa.abçs

  3. 23 de março de 2016 at 10:04 — Responder

    não vejo a hora de minha filinha fazer os três mêses
    ,ela tem muita cólica,e ela vai fazer so dois meses ainda ,mas estou pensando positivo vai passar

  4. Michele
    8 de outubro de 2016 at 21:07 — Responder

    Meu bebe tem 25 dias e não tem cólicas,ele é muito tranquilo so chora pra mamar.. Evito comer coisas que acho que fazem mal a ele,não sei se tem haver mas tem dado certo.

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Voltar
COMPARTILHAR

Cólicas x Bebês – a alimentação da mãe influencia?