Qual a melhor idade para ser mãe ?

A gente nunca pensa seriamente na idade certa para ser mãe até o desejo aparecer. Conheço pessoas que tiveram filhos ainda na adolescência e outras depois de uma carreira estabelecida e já nos quarenta e cinco minutos do segundo tempo.

Quando adolescente acreditava chegar aos vinte e cinco anos já casada e com filhos; sim, eu disse filhos, no plural mesmo. O que aconteceu de lá para cá, foi que só me casei aos 30 e tive apenas um filho quase aos 40.

Acho que quando se descobre que um filho está a caminho e se aceita essa vinda, independente da idade, se paga um preço. Em todos os momentos e como tudo na vida, escolhemos ter filhos e deixamos a outra opção, qualquer que ela seja, de lado.

Sim a adolescente vai abandonar os estudos ou não ser uma aluna tão brilhante naquele momento, e o neto vai virar meio filho da avó para que ela possa continuar os estudos…

A mulher mais madura, também paga o seu preço, uma gestação considerada “tensa” e cheia de exames para quem tem mais de 35 anos, porque mesmo com toda a evolução da medicina, os nossos óvulos já nascem na quantidade certa para toda uma vida e com data de validade – quanto mais perto da data final, as chances dos produtos não terem a qualidade desejada são maiores – sem contar que sendo seres de hábito, e a esta altura do campeonato, toda uma rotina foi construída, e ter que abrir mão dessa individualidade nos convida a praticar dias de doação (a melhor do mundo), sem falar que o corpo tem que estar mais em forma; o gás para ser mãe de uma criança pequena depois dos quarenta, talvez tenha que ser reabastecido com mais freqüência.

Existem perdas e ganhos em cada fase, e não me entenda mal, como eu disse, as perdas são inerentes à escolha, qualquer uma delas. Se escolhemos o caminho da direita, abrimos mão daquela estrada que estava ali do lado esquerdo, se a gente senta no corredor, não consegue a vista da janela e assim a vida anda.

A minha escolha, foi mais um misto de possibilidades e me encaixo agora no que a sociedade americana rotula de Midlife Mom. Mulheres que escolheram ou só puderam ter seus filhos depois dos 35 anos de idade.

 

O que ganhei

  • Dias mais felizes
  • Noites mais curtas
  • O conhecimento de um amor imenso
  • O medo desse amor imenso e do que somos capazes de fazer por ele
  • Mais conhecimento e menos cobrança
  • Mais liberdade para cuidar da minha família
  • Alguma segurança financeira e emocional
  • O direito de errar e não me sentir tão mal

 

Do que abri mão

  • De acordar a qualquer horário
  • De ser dona do meu nariz
  • De um pouco de vaidade
  • Das viagens mais frequentes

 

O que perdi

  • Não tenho tanta energia para brincar sem cansar
  • A segurança emocional para ter um segundo um segundo filho

 

Crédito de imagem: mtsofan

Postagem anterior
Mãe e filho: uma metamorfose ambulante
Próxima postagem
Creche ideal: o que pesquisar

2 Comentários

  1. 13 de fevereiro de 2014 at 21:11 — Responder

    Tenho 97 anos, me casei com 23 em 6 de novembro de 1939. Tive 5 filhos(4 mulheres e 1 homem)com 26(Sandra)em 15 de abril de 1943, com 28(Ellen)em 8 de novembro de 1944, com 31(Juliane)em 6 de outubro de 1948, com 34(Andréa)em 18 de setembro de 1951 e com 41(Roberto)em 5 de maio de 1958. Fiquei viúva em 8 de dezembro de 2013, aos 97 anos. Meu marido tinha 106 anos quando faleceu, ele era de 19 de outubro de 1907.

  2. Bruna Biazzi
    17 de março de 2014 at 23:14 — Responder

    Cmg ja foi o contrario.. pensava em me casar e ter um filho depois dos 30, mas fui mae aos 21.. e penso em ter mais 2 filhos.. daqui alguns anos é claro!! Só lamento por n poder dar uma familia p minha filha.. e sei que cria-la sozinha n sera facil.. mas é o maior amor do mundoo

Envie uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Voltar
COMPARTILHAR

Qual a melhor idade para ser mãe ?